sábado, 3 de outubro de 2009

Caindo


Por entre seus dedos gelados vejo sua vida escorrer
Não posso fazer nada, pois a mim já não pertence teu ser
Rasga meu peito te ver mergulhar de cabeça na escuridão
Fecho meus olhos bem forte, esperando não morrer de medo
Não enlouquecer.
Fico sem ar, preso num limbo sem fim
Tento gritar, bater, quebrar, mas nada acontece
Você não me ouve, não me vê.
Tento impedir você, sinto meu coração bater alucinadamente
O medo corre em minhas veias, toma minha mente
Vejo-te, mas estou ali impotente
Vejo você chorando, tomando coragem, tentando desistir
Num ultimo impulso enfim fecho os olhos tentando acreditar
Que nada você vai sentir, que nada te fará chorar,
Sento-me choro e faço a única coisa que posso fazer
Ver você sangrar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário